Enquete:

Qual a sua opinão sobre o portal da Revista MIES?

Ótimo
Bom
Regular
Ruim
Ferramentas de competitividade
Por: Revista MIES - 06/03/2013
Soluções de automação, controle de processo e instrumentação trazem benefícios diretos como maior segurança em processos, menores índices de manutenção corretiva de máquinas e minimização de erros

Quem compareceu à última edição da Brazil Automation Isa Show, talvez o principal evento anual no País ligado às áreas de Controle e Instrumentação em plantas fabris, pôde comprovar que na indústria do século XXI a automação consolidou o seu status de ferramenta imprescindível, inevitável e inadiável para o sucesso de uma organização. Mesmo que não aplicada de forma integral ao chão de fábrica e demais setores, ela contribui direta e decisivamente para monitorar a qualidade e o desempenho, previne riscos operacionais, evita paradas não programadas de equipamentos e, somando todos estes benefícios, permite a competitividade necessária à sobrevivência da companhia.

Além da tradicional exposição de produtos e serviços, muitas empresas aproveitaram a oportunidade para destacar cases e apontar tendências a partir do uso de tecnologias nas quais detêm amplo know-how. Foi o caso da Schneider Electric, que conta com ampla estrutura de soluções industriais, produtos e serviços na área.

Focada em automação e inovações, a companhia tem realizado diversas aquisições para ampliar a abrangência de sua atuação, permitindo, assim, atendimento customizado às necessidades de cada cliente. Especificamente em automação industrial, a compra das empresas Citect (Austrália) e Pelco (EUA) possibilitou que sistemas de visão e monitoramento fossem integrados em novas funcionalidades do sistema Scada da fornecedora. "Dessa forma, é possível ao operador de uma sala de controle, por exemplo, atuar sobre uma câmera de vídeo diretamente através do próprio sistema de supervisão da instalação industrial", destaca Henrique Monferrari, consultor técnico.

Para ele, uma forte tendência é a difusão da tecnologia Ethernet para a quase totalidade e níveis de redes industriais. "A evolução deste padrão possibilitou características antes inimagináveis como o próprio determinismo e o fim das colisões de pacotes (datagramas), culminando atualmente na maior expansão mundial entre todas as tecnologias de rede de controle em uso, segundo estudos da ARC Advisory Group".

Além disso, Monferrari enfatiza que, ao substituir o conceito de soluções tradicionais via cabos por redes de automação abertas o usuário desfruta de outros benefícios. O primeiro deles seria a economia quanto ao uso de cabos elétricos, cujo insumo principal é o cobre, de custo cada vez mais elevado. Em seguida, vêm todos aqueles relacionados à integração de dispositivos em rede, sendo possível comandar, monitorar, supervisionar e até mesmo adquirir dados remotamente. "São inúmeros os ganhos em proteção, diagnóstico, controle e até mesmo segurança", detalha.

Entre as diferentes novidades ofertadas pela Schneider Electric está o sistema PlantStruxure PES (Process Expert System). "Trata-se de um controle integrado inovador que alia o melhor dos tradicionais recursos Scada, PLC, Híbridos e DCS. Dessa forma, temos uma ferramenta mais escalonável, com base de dados e ambiente de desenvolvimento únicos, oferecendo ganhos tanto na fase de engenharia do sistema e implantação quanto na própria operação", finaliza.

Para ler a matéria na integra clique aqui

Publicidade:
Últimas Noticias
02/08/2018
17/05/2018
02/04/2018
15/01/2018